O Homem Homem

Concordamos que somos diferentes. Antes de entender quem “você é”, já aprendeu o que “você não é”. Antes dos corpos: os gestos, antes de aprender a diferença do seu corpo e o da sua coleguinha, saberá que ela pode chorar, rebolar, se enfeitar… mas você não.

Concordamos que somos diferentes. Antes de entender quem “você é”,  já aprendeu o que “você não é”. Antes dos corpos: os gestos, antes de aprender a diferença do seu corpo e o da sua coleguinha, saberá que ela pode chorar, rebolar, se enfeitar… mas você não.

Cinquenta anos atrás existiam escolas separadas de meninos e meninas, depois pátios separados e isso pode não soar estranho porque até hoje há festas com rodinhas separadas de homens e mulheres.

Antes das diferenças do corpo já existe o futebol.  O jogo com dois times que precisam chutar uma bola até colocá-la na rede do concorrente é esporte de Homem Homem.  Mesmo que você não goste de esporte, que não veja graça ou não entenda porque os times não são mistos…  gostar de futebol é uma das condições importantíssimas para que seja Homem Homem. No campo, homens se abraçam tão forte que conseguem tirar o outro do chão,  talvez seja a única vez em público que você  poderá  tocar outros homens  e continuar sendo Homem Homem.

Antes de entender o que é pênis e vagina, assim que começa a crescer pelos, você terá que conseguir se aproximar de uma garota, conseguir dar beijo de língua e segurar nos peitos dela.  O que não é tão fácil quanto possa imaginar.

Você começa a sentir o que é Sexo junto com outros garotos que vão dar palpites de como penetrar um pênis numa vagina. Você pode se masturbar com seus amigos mas não é isso que te dá o título de Homem Homem. Então você ficará angustiado porque não encontra a garota, não dá certo na primeira tentativa, com a profissional você não  entende se gozou … mas se houver a penetração já valeu, você conseguiu.

A partir daí, você tem o direito de participar de todos os ambientes Homem Homem , onde ouvirá “outros iguais” se gabarem de como transaram com “gostosas”. Então você aprende que Homem Homem “come” (?!) mulheres, ainda que ache estranha essa expressão antropofágica.  Esse será então seu objetivo: devorar garotas que mais se pareçam com as peitudas e bundudas dos site pornô.

Meninos ficam muito felizes ao serem reconhecidos como Homens Homens pelos seus pais, pelos amigos de seus pais, pelos tios… com quem você já aprendeu o jeito Homem Homem de sentar, de gesticular e de vez em quando coçar o pau que é um gesto muito “másculo”.

Já aceito como um Homem Homem, você cuidará para que todos os seus gestos, suas roupas, sua fala sejam iguais a de seus colegas da escola e do trabalho. Cuide como corta o cabelo, como se veste e o que comenta. Você terá que se vestir como um Homem Homem e como você não faz ideia do que isso quer dizer  vai preferir os uniformes como os ternos, assim não correrá o risco de errar.

Além de conseguir deixar o pau duro você aprenderá a endurecer, a não ceder aos medos e sentimentos porque isso é assunto de Mulher. Você entrará numa briga por nada e com sorte seu nariz sangrará, entenderá que brigar não é esporte, é instinto de macho e Homem Homem é macho no sentido do que luta para garantir seu espaço e sua caça.

Se você não for bom de briga, aprenda a gritar. Fale bem alto cuspindo, não deixe o outro falar, xingue, provoque, assuste, ameace. Se for preciso, trapaceie. Você aprenderá que para o Homem Homem não tem essa de ética. Lembre-se da lei de Gerson, da propaganda de cigarro do jogador dizendo: “Gosto de levar vantagem em tudo certo?”.

Um dia você será incentivado a “constituir uma família” ou porque a família vai te pressionar ou porque engravidará  a namorada –  uma garota “direita” (aprenderá que “as ‘tortas’ são boas pra levar para cama e não para o altar”) . O casamento te colocará frente a frente com uma espécie “diferente”, um ser criado fora do teu ambiente Homem Homem e você não saberá bem o que fazer. Até então você aprendeu a se aproximar delas para fazer sexo, não para conviver pro resto de sua vida.

Você não entenderá o que é uma Mulher, mas ouvirá que  “são todas iguais, que são muito sensíveis e se irritam fácil principalmente quando tem TPM”.   Mas você se acostuma: são apenas algumas horas da noite, ela deverá te agradar como fazia sua mãe e você deverá ficar fora muitas noites como fazia seu pai.

Você poderá ter filhos e vai torcer para que seja homem pelo simples fato de não entender nada do que significa ser mulher. De qualquer forma “a educação é obrigação da sua esposa”, e você deverá se importar em não deixar faltar nada (leia-se “dinheiro”) em casa.

Por uma questão humanitária, você se levantará algumas noites para cuidar do bebê chorão e talvez precise trocar faldas, assunto que certamente não comentará nas rodas de cerveja.

Quando o filho crescer você terá que ensiná-lo a ser  Homem Homem e  em algum momento talvez até tenha até vontade de dividir suas experiências mas vai desistir para manter a “distância necessária” e manter a autoridade de Pai, então deixará esses assuntos para que ele aprenda na rua.

Se for menina, você deixará que a mãe cuide, mas ficará atento quando um menino se aproximar por saber que todo Homem Homem no fundo não presta e só quer saber de sexo.

O tempo vai passar e você vai precisar se conformar em ter carros e posses para “garantir” sua virilidade. Não usará seu pênis com a mesma intensidade e frequência nem com sua esposa, nem com outras. Até tentará ter uma vida extraconjugal para sentir o poder de um Homem Homem , mas não será bem sucedido e se for, irá enfrentar uma separação com todas as questões judiciais e a sensação de que ficará mais pobre. Por pouco tempo achará que a vida de separado é boa, mas  depois vai se sentir sozinho e pode ser até que, escondido, chore muito.

Mas se te faltar carro, bens, amantes e sobrar apenas os gestos, os berros, as brigas, poderá trocar seu pênis por um revolver e num momento de cabeça quente, vai beber demais, achar que no final das contas está  brochando por culpa da sua mulher que não é uma gostosa, nem boa de cama, “ela não presta”. Você não aguentará mais a cara dela, nem a voz, nem as reclamações…  e pode ser que atire.

Assim, assassino ou assassinado pela sua infelicidade, você vai olhar no espelho  e pela primeira vez se perguntará:  “Do que me valeu tanto esforço para ser Homem Homem?”